Viagem: Gonçalves - MG - Menu Criativo

11 de janeiro de 2017

Viagem: Gonçalves - MG

Passamos o réveillon em Gonçalves, Minas Gerais. Eu amo Minas, fui criada lá uma parte da minha infância, então tenho um apego com o sotaque, as comidas, a hospitalidade mineira.


Vale aqui algumas observações: Indo pela Rodovia Fernão Dias, o última cidade antes de Gonçalves é Cambuí. E de Cambuí até Gonçalves são cerca de 25 a 30 quilômetros de estrada de terra (estrada média, se estiver chovendo pode ficar complicada).
Update: nos comentários nos deram outra forma de chegar a Gonçalves sem passar por essa estrada de terra.

A cidade de Gonçalves tem poucas pousadas, então vale pesquisar os distritos do entorno, assim como eu fiz.


Pesquisei pousadas e nos decidimos pela Monjolos de Minas, que fica no distrito dos Costas, a 9 km de Gonçalves.
A pousada conta com chalés (1 ou 2 andares) ou suítes que ficam em uma casa. Todas as acomodações ficam em meio a natureza e o local é extremamente tranquilo.
Há uma piscina aquecida, parquinho para crianças e muita área verde para você caminhar e relaxar.

As refeições (café da manhã incluído na diária) são servidas na sede, onde fica a recepção e que conta com um salão lindo, de vidro e bem iluminado e uma sala de tv no andar superior.
No nosso caso, ainda tivemos direito à ceia de réveillon, que foi servida no salão que comentei (fotos abaixo).



Chegando na cidade no sábado, fomos almoçar no restaurante Cabana (fica na avenida principal da cidade, bem perto do portal). O restaurante é no estilo self-service e serve comida típica mineira, tutu de feijão, couve, torresmo, e muito mais. O valor é bem justo.
Dica: Vale a pena pedir a jarra ou meia jarra de suco, o valor é bem em conta e os sucos são fresquinhos!
Ainda no restaurante, não deixe de chupar um sorvete da marca Rochinha antes de ir embora! Um dos melhores picolés que já provei.

Andamos um pouco pela cidade, passamos na feirinha orgânica (pena que já estava acabando, pois eu queria ter aproveitado mais) e fomos para a pousada. A ceia foi bastante farta, com entradas, pratos principais deliciosos e sobremesas de comer rezando! O pessoal da pousada é muito educado, solícito e animados! Estão sempre com sorriso no rosto.


No domingo tomamos café e fomos conhecer as cachoeiras de Gonçalves.
Dá para ir de carro tranquilamente em 3 delas (as que conhecemos).
Na primeira, a Cachoeira do Retiro, você para o carro a apenas alguns metros da cachoeira. Ela é pequena, mas bem tranquila para crianças e idosos, pois não há trilha e a água é bem calma (e fria!).


Na segunda em que fomos, a cachoeira 7 quedas, você dirige até um estacionamento, e em alguns metros já consegue ver a cachoeira. Para ir até ela, você precisa descer uma pequena trilha de uns 200 metros.
Trilha tranquila para crianças acompanhadas de adultos.


A terceira cachoeira que conhecemos foi a do Cruzeiro e ela também é linda! Dá para tirar fotos bem bacanas. e fica a 10 minutos de caminhada leve da cachoeira 7 quedas. 


Resumindo: A cidade é bem pequena, mas uma graça! Super indico! Os mineiros são excelentes anfitriões, há cafés e restaurantes muito bons e vale pensar em pegar uma pousada bacana no inverno para ficar bebericando um vinho e comendo queijos excelentes. Ou ir para as cachoeiras no verão aproveitar a natureza.

Vai viajar? Reserve sua pousada por aqui:
Além de garantir um desconto bacana, você ainda ajuda o blog!

4 comentários :

  1. Se me permite uma observação, você não conheceu Gonçalves. Me mudei há 2 anos, vinda de São Paulo, e a cidade que conheço não é insossa e sem brilho como você a descreve. Estou aqui há dois anos e simplesmente não consegui conhecer metade das atrações turísticas e pousadas (mais de 40) dessa pequena cidade. E não é por preguiça, não. É só porque as dezenas de cachoeiras, pedras, alambiques, pequenos redutos, paisagens, a feirinha orgânica, os produtores rurais, as pousadas, os restaurantes da roça e da cidade, artistas locais e, principalmente, da gente hospitaleira e cordial que vive aqui exigem tempo para serem descobertos e desfrutados. Nada que uma viagem de bate-volta consiga dar conta, te garanto.Por isso, se me permite uma sugestão, volte. Sem pressa, bem do jeitinho mineiro, com tempo pra prosear, tomar uma cachacinha e descobrir esse paraíso de verdade. Acho que seus leitores vão gostar de ter essa oportunidade de saberem como Gonçalves é de verdade. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Solange, antes de tudo peço desculpas se a forma como descrevi a cidade pareceu uma cidade insossa, pelo contrário, a cidade é uma delicia! Pacata e tranquila, do jeito que eu gosto, sim, cheia de lugares ótimos para comer e tomar excelente cafés!
      Eu fui na feirinha orgânica, mas já estava terminando, por isso não comentei no post.
      Com certeza um bate e volta não faz jus a nenhuma cidade de Minas!
      Eu tb moro em uma cidade pequena e adoro cidades assim!
      Beijos!

      Excluir
    2. Mais uma ressalva, há opção de acesso por asfalto até a cidade sim. Fica entre São Bento do Sapucaí e Paraisópolis. É uma cidade tão mágica, que para desvendá-la deve haver paciência, essência e criatividade!

      Excluir
    3. Olhaaaa que bacana!! Nós perguntamos a 2 pessoas lá (uma delas trabalha no local de ajuda ao turista) e ambas nos falaram que só dava pra ir pra SP por Cambuí...
      E por onde vc falou, aumenta uns 30km... não acho muito por ser asfaltado.
      Valeu a dica!

      Excluir

Gostou? Para receber receitas Grátis, deixe seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...