Menu Criativo

18/06/2019

Brigadeiro de Abóbora com Coco
18.6.190 Comentários
Viram que estou no clima de festa junina, né? Acho que por estar longe do Brasil, essas festas que eu gosto tanto deixam um gostinho de saudade...
Essa é mais uma receita diferente e deliciosa:

festa junina

Brigadeiro de Abóbora com Coco

(Rende cerca de 20 brigadeiros - Tempo de Preparo: 1 hora)

1 lata 395g de leite condensado
1 colher (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de coco ralado seco
100g de abóbora cozida e esmagada (pode usar a que preferir, mas eu gosto da cabotiá por ficar com a cor mais bonita)
Coco Ralado para decorar

Cozinhe a abóbora sem casca até ficar bem macia. Amasse bem, até virar uma pasta uniforme.
Em uma panela média, coloque o leite condensado, a manteiga, o coco ralado, o purê de abóbora e leve ao fogo médio, mexendo sempre até que a massa desgrude do fundo da panela e atinja ponto de brigadeiro.
Então espere esfriar, com as mãos untadas com manteiga, faça bolinhas e passe pelo coco ralado. 
Leia Mais

13/06/2019

Vinho Quente
13.6.190 Comentários
Uma opção para os dias frios e as festas juninas/julinas é o vinho quente! Para quem acha o quentão muito forte, essa é uma ótima opção.

vinho quente

Vinho Quente

(Rende 1 litro - Tempo de Preparo: 20 minutos)

1 litro de vinho tinto seco
1/2 colher (chá) de cravos
1 pau de canela de 5 cm
1/2 laranja em rodelas
1/2 maçã em cubos
4 colheres (sopa) de açúcar

Coloque todos os ingredientes em uma panela tipo caldeirão e leve ao fogo até levantar fervura. Abaixe o fogo e cozinhe em fogo baixo por 15 minutos. Sirva quente.
Dicas: Sirva em seguida, e se necessário vá fazendo mais, pois com o passar do tempo a bebida amarga.
Leia Mais

11/06/2019

Chá de Amendoim
11.6.190 Comentários
A primeira vez que provei esse "chá" foi em uma festa junina em 2017 e adorei! Eu não sei exatamente porque se chama chá, mas o importante é que é uma delicia e combina muito com festa junina e frio!

Chá de Amendoim

(Rende cerca de 1,5 litros - Tempo de Preparo: 15 minutos)

1 litro de leite
1 pitada de canela em pó
1 caixinha de leite condensado (395g)
200 g de amendoim torrado sem sal
250 ml de água

Coloque o amendoim no liquidificador e triture-o na função pulsar. Separe metade do amendoim triturado. 
A outra metade, bata novamente no liquidificador com a água até ficar homogêneo.
Em uma panela grande coloque o leite,  a canela e o leite condensado e leve ao fogo.
A partir de agora, mexa o tempo todo para não derramar e nem grudar no fundo da panela.
Deixe o leite ferver por 3 minutos, então misture o amendoim triturado e o que foi batido com água e deixe ferver por mais 5 minutos. 
Sirva bem quente.
Leia Mais

06/06/2019

Bolo de Amendoim de Liquidificador
6.6.190 Comentários
Festas juninas e julinas chegando (eu amo! e amo quermesse também) acho que um bolo de amendoim combina muito com com o "arraiá" então, dá uma olhada nessa receita:

Bolo de Amendoim

(Rende 1 bolo grande - Tempo de Preparo: 1 hora)

3 ovos inteiros
2 xícaras (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de leite
1/2 xícara (chá) de óleo
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 xícara (chá) de amendoim torrado, moído, sem pele e sem sal

No liquidificador, coloque os ovos, o açúcar, o óleo, o leite e 1 xícara de farinha e bata por cerca de 3 minutos até obter uma massa lisa. Despeje a massa em uma tigela e misture, aos poucos, o restante da farinha peneirada. Incorpore o fermento e, por último, misture o amendoim.
Coloque a massa em uma forma grande untada e enfarinhada. Leve ao forno médio pré-aquecido por cerca de 40 minutos ou até que o bolo fique corado.
Leia Mais

04/06/2019

Aprenda como Congelar Legumes já Cozidos
4.6.19 2 Comentários
Cozinhar e congelar legumes e verduras antecipadamente facilita muito o dia a dia, além de contribuir para uma alimentação mais saudável e balanceada. Por isso, preparamos um passo a passo fácil. Aprenda:

Existe jeito certo de congelar legumes?

Para que os legumes cozidos possam durar meses no refrigerador e, quando descongelados ainda ficarem frescos, é preciso cozinhá-los da forma correta.
A técnica de branqueamento, que consiste em pré cozer os legumes para inativar as enzimas responsáveis pela deterioração dos alimentos. Depois, os legumes são colocados em uma bacia com água e gelo para que o processo de cozedura seja interrompido imediatamente, deste modo eles permanecem com textura natural mesmo após congelados e descongelados. 
Existem dois métodos para cozinhar os alimentos na técnica de branqueamento:
Água fervente, com a panela destampada
Vapor, com auxílio de uma vaporeira e panela tampada

Passo a passo para cozinhar e congelar legumes

Como exemplo, serão utilizados os seguintes legumes: abóbora-cabotiá, abobrinha, berinjela, brócolis, cenoura, chuchu, repolho e vagem.
Eles podem ser congelados por até seis meses.

1. Higienização

Já que os legumes serão cozidos em alta temperatura, não é necessário higienizá-los com água sanitária, mas é apenas lavá-los bem em água corrente para que insetos ou terra que possam estar grudados sejam retirados.
No caso do brócolis, o ideal é colocá-lo de molho em água com vinagre (uma colher de sopa da solução a cada litro de água) por dez minutos para retirar possíveis insetos que possam estar entre as flores. Após o processo, é só enxaguar em água corrente. 
Depois de lavar todos os legumes, é hora de cortá-los preferencialmente em pedaços pequenos para facilitar o cozimento. A exceção fica por conta da abóbora-cabotiá – que deve ser partida apenas pela metade.

2. Cozimento

Para começar, leve uma panela com água ao fogo e deixe ferver. Então, escolha qual método prefere usar no processo de cozimento (vapor ou imersão na água). 
Confira o tempo de cozimento de cada um dos legumes para que sejam mantidas as texturas naturais quando descongelados:
Abóbora-cabotiá: ainda com casca, deve ser fervida na água por cerca de 8 minutos. Assim, ela fica fácil de cortar.
Abobrinha: 3 minutos na água fervente e dois minutos no vapor.
Berinjela: 4 minutos na água fervente e 3 minutos no vapor.
Brócolis: 4 minutos na água fervente e 3 minutos no vapor.
Cenoura: 4 minutos na água fervente e 3 minutos no vapor.
Chuchu: 4 minutos na água fervente e 3 minutos no vapor.
Repolho: 3 minutos na água fervente e 2 minutos no vapor.
Vagem: 3 minutos na água fervente e 2 minutos no vapor.

3. Branqueamento

Nessa etapa, é necessário encher uma bacia grande com água e bastante gelo. 
Conforme os legumes alcançarem o tempo de cozimento, transferi-los para a água gelada, de modo a provocar choque térmico que interromperá o cozimento. 
A mesma bacia pode ser utilizada para todos os legumes, desde que seja acrescido mais gelo conforme o calor for perdido.
Depois que cada um dos legumes passar pelo processo de branqueamento, os mesmos devem ser transferidos para panos de prato limpos para que possam escorrer e secar bem. 

4. Congelamento

Quanto mais seco o legume estiver, mais tempo vai durar no congelador, por isso é tão importante secar bem.
A recomendação é que cada pessoa consuma uma xícara de chá de legumes por refeição. Dessa forma, é possível congelá-los na medida certa, facilitando o preparo no dia a dia. 

5. Armazenamento

O armazenamento pode ser feito em: 
Potes de vidro esterilizados
Refratários de plástico esterilizados e próprios para freezer
Sacos plásticos esterilizados e próprios para freezer
As porções podem ser congeladas separadamente ou combinadas. Por exemplo, é possível mesclar:
Repolho + abobrinha + vagem
Berinjela + chuchu + abóbora
Repolho + chuchu + abóbora
Brócolis + abobrinha + repolho
Abóbora + chuchu
Berinjela + chuchu
Abobrinha + repolho
Repolho + vagem
Brócolis + cenoura
Cenoura + abobrinha

Para facilitar o consumo, escreva na embalagem, com uma caneta permanente, o que está congelado e a data de validade.

Dicas

Depois de picada, a berinjela deve ser mantida de molho em água até o momento de cozimento para diminuir o sabor amargo e não escurecer.
Todos os legumes podem ser cozidos na mesma água, sendo desnecessário trocá-la.
Deve-se secar bem o brócolis e a berinjela, pois ambos absorvem muito líquido.
No caso do repolho-roxo, é necessário tomar cuidado com os panos de prato, pois ele possui corante natural que pode manchar tecidos.

Como descongelar?

Na hora de consumir, apenas retire os legumes do freezer e transfira-os para uma panela quente ou leve-os ao forno com um fio de óleo e o tempero que desejar, apenas para dourar e aquecer.

Adaptado de Ativo Saúde
Leia Mais

30/05/2019

Vamos Falar Sobre o Mel
30.5.190 Comentários
O mel de abelha é um dos alimentos mais presentes na alimentação dos brasileiros, embora também seja usado com frequência para fins distintos. Por exemplo, ao passo em que muitos o utilizam como adoçante natural para substituir o açúcar refinado, há quem recorra a ele quando está com dor de garganta.
Mas o que faz o mel ser tão popular? Além do sabor doce, é claro, seus inúmeros benefícios para a saúde chamam atenção. Saiba mais:

Propriedades do mel

O mel é um produto natural obtido a partir do néctar das flores, coletado pelas abelhas. Ele é extremamente rico em diversos minerais e nutrientes, com destaque para o potássio e os carboidratos.
Seus benefícios variam de acordo o tipo, que é definido pela flor da qual a abelha coletou o néctar. O mel silvestre é a variação mais popular no Brasil, que tem forte ação antimicrobiana e antioxidante.

Benefícios do mel para a saúde

Para doenças respiratórias
Graças ao seu baixo pH, o mel é muito bom para dor de garganta, pois ajuda a impedir o crescimento de micro-organismos que provocam dor e inflamação, de modo a dar até mesmo alívio instantâneo para o incômodo.

Para o sono
O mel faz bem para quem quer ter uma noite melhor. Suas propriedades nutritivas, em especial o triptofano, estimulam a produção de serotonina – hormônio responsável pela sensação de bem-estar, além de reduzir os níveis de estresse, o que facilita o relaxamento para pegar no sono.

Mel x Açúcar

Embora tenha índice glicêmico semelhante ao açúcar refinado, o mel é um bom substituto porque fornece nutrientes variados e não eleva o risco de hipertensão.
No entanto, como é um adoçante calórico, é importante ficar atento à quantidade consumida. Assim, vale buscar o auxílio de um nutrólogo e/ou nutricionista.

Malefícios e riscos

Apesar de não ter muitas contraindicações, é preciso tomar alguns cuidados antes de consumi-lo, principalmente em relação a sua procedência.

Botulismo
É recomendável que crianças com menos de um ano não consumam mel porque ele pode conter a bactéria causadora do botulismo. Esse é um tipo raro, porém grave, de intoxicação alimentar que pode resultar em paralisia e dificuldade de comunicação.
Após esta idade, o consumo é liberado pois a microbiota intestinal já está completamente formada e, portanto, não vulnerável à bactéria, mesmo assim, o ideal é procurar um médico e seguir as instruções do mesmo.

Pode engordar
Além disso, há quem pense que, por ser um substituto natural e saudável do açúcar, o mel pode ser consumido livremente. Acontece que, por ser muito calórico, comê-lo em excesso pode não ser o melhor caminho para quem quer perder peso.

Como consumir o mel?

O mel pode ser consumido sozinho ou como acompanhamento de frutas, por exemplo. Ele também pode servir de cobertura para o cereal ou de ingrediente para colocar junto ao leite.
Uma boa dica é consumir frutas ricas em potássio, como a banana, com um pouco de mel em cima. Essa receita é ótima, principalmente como pré-treino para dar a energia que o corpo precisa e evitar cãibras musculares.

Por que o mel dura por tanto tempo?

Se armazenado em recipientes bem fechados e mantido longe da luz, do calor e da umidade, pode durar por muitos anos. Isso ocorre porque a alta concentração de açúcar e o pH baixo criam um ambiente bem pouco propício para a reprodução de micro-organismos.

Adaptado de ativo Saúde
Leia Mais

28/05/2019

Kombucha - O Que É e Quais os Benefícios
28.5.190 Comentários
Produzida a partir da fermentação do chá verde, branco ou preto, a Kombucha possui inúmeros benefícios à saúde e virou tendência na internet. Segundo Gislaine Santana, engenheira de alimentos da Campo Largo, consumidores da bebida observam inúmeros benefícios. Confira:

A Kombucha (pronunciada como "combutchá) é uma bebida criada na China há mais de 2 mil anos, que chegou de mansinho no Brasil e já se tornou a "queridinha" dos adeptos de uma alimentação saudável. A engenheira de alimentos Gislaine Santana, da Campo Largo– indústria referência em bebidas saudáveis e pioneira no mercado de Kombuchas – responde algumas das dúvidas frequentes sobre essa bebida probiótica.

O que é a kombucha?

Kombucha é uma bebida feita principalmente a partir dos chás Camellia sinensis adoçados - os mais comuns chá verde, chá branco ou chá preto, fermentada por micro-organismos que auxiliam o funcionamento do organismo. É produzida com ingredientes naturais, sem conservantes, além de conter pouco açúcar e baixo teor de calorias.

O que é probiótico?

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, "probióticos são os microrganismos vivos capazes de melhorar o equilíbrio microbiano intestinal produzindo efeitos benéficos à saúde do indivíduo".

Como é o processo de produção?

A Kombucha é feita a partir do chá adoçado com açúcar e fermentado por uma colônia de bactérias e leveduras, conhecida como "scoby". O açúcar funciona como alimento para os micro-organismos, fazendo com que eles se multipliquem e comecem a produzir inúmeras substâncias.

O que é scoby?

Em inglês: Symbiotic Culture Of Bacteria and Yeast. Traduzindo: Cultura Simbiótica de Bactérias e Leveduras. "S.C.O.B.Y é composto de microrganismos aglomerados em uma massa de celulose parecida com uma panqueca gelatinosa e translúcida. Quando adicionado ao chá adoçado, o transforma na Kombucha, uma bebida refrescante, levemente gaseificada, ácida e adocicada, que pode ser também saborizada com frutas, vegetais e especiarias", explica Gislaine.

Quais os benefícios da kombucha?

Em virtude do processo de fermentação natural, a Kombucha possui microrganismos e, por isso, seu consumo diário pode trazer diversos benefícios para a saúde. Dentre os mais comumente relatados estão o auxílio na digestão, no emagrecimento, além de possuir ação antioxidante, anti-inflamatória e ser uma fonte de energia.

Possui álcool ou açúcar?

Sim. A bebida possui uma pequena quantidade de açúcar e por ser fermentada, também pode possuir um pequeno percentual de álcool (no máximo 0,5%). Por este motivo é fundamental fazer o armazenamento correto da mesma para que estas características sejam mantidas até o consumo.

Qual restrição de consumo?

Por ser uma bebida fermentada e por apresentar um pequeno percentual de álcool, crianças e idosos devem consumir de forma equilibrada, gestantes, lactantes e portadores de doenças crônicas devem consultar o médico antes do consumo. O restante das pessoas deve consumir moderadamente já que, por estimular o sistema gastrointestinal, pode causar desconfortos.

Qual o sabor?

Há diversos sabores disponíveis das Kombuchas no mercado. "O consumidor deve se atentar em escolher sabores que possuam ingredientes benéficos à saúde. Há várias combinações interessantes e saborosas no mercado, como: Hibisco & Cranberry, Limão, Matcha & Gengibre e Manga & Cúrcuma. As Kombuchas também podem ser apresentadas com sabores de fruta, como: Manga, Maçã e Uva", conta Gislaine.

Dá pra fazer em casa?

Sim. É possível preparar as Kombuchas em casa desde que haja os produtos necessários para a preparação como o S.C.O.B.Y e um starter, além dos ingredientes básicos (chá, açúcar e algo para dar sabor, se o consumidor desejar, como frutas e especiarias). "Todos os produtos podem ser adquiridos na internet ou em loja de produtos naturais, porém deve-se estar atento para a qualidade do scoby e demais insumos, para evitar riscos de contaminação".

É possível comprar pronta?

Sim! A compra das Kombuchas prontas é mais prática do que produzir o produto em casa, pois no ambiente doméstico o consumidor terá maior dificuldade em controlar aspectos importantes de fermentação, como formação de álcool e gás. "Encontramos diversas opções de Kombuchas no mercado. O consumidor deve escolher aquela que lhe agrade e que combine mais com seu estilo de vida", explica a engenheira de alimentos.

Fonte: Assessoria
Leia Mais

LinkWithin

Licença Creative Commons
Menu Criativo de Ana Paula Castelli está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

Menu Criativo® é uma marca registrada por Ana Paula Castelli sob nº processo 906768420 no INPI.