Menu Criativo

18/04/2019

Bebidas Energéticas
18.4.190 Comentários
As bebidas energéticas são populares no Brasil e no mundo. Mas você sabe o que está, de fato, por trás desses produtos?
Popularmente conhecidas como energéticos no Brasil (ou energy drinks por aí afora), bebidas à base de cafeína (um alcaloide) e taurina (um aminoácido), são amplamente consumidas no mundo desde o final da década de 1990.


No Brasil, entre 2010 e 2016, as bebidas energéticas tiveram crescimento de 80% no consumo médio per capita, de acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas (ABIR).
Em 2010, um brasileiro consumia em média 300 mL, e em 2016, já eram 500 mL. Nesse meio tempo, o volume de produção saltou de 64 milhões de litros para aproximadamente 111 milhões de litros por ano.

“Poucos atentam para o fato de que esses energéticos são ricos em açúcar também. E, na verdade, é a glicose presente nessas bebidas que ‘dá energia’, por meio da queima do açúcar. O energético é um psicoestimulante à base de cafeína, ou de taurina. A cafeína não ‘dá energia’, ela é uma droga psicoativa. As fontes de energia são carboidratos, lipídios…. Enfim, são os macronutrientes”, esclarece Bruno Gualano, professor do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

Ele alerta que um consumo excessivo de bebidas energéticas não implica apenas em ingestão de cafeína em demasia, mas também de açúcar, o que não é recomendável.

As bebidas energéticas são regulamentadas pela ANVISA e, segundo a Agência, a categoria se refere a produtos que contêm como ingredientes principais inositol, glucoronolactona, taurina e cafeína, podendo ser adicionados de outros ingredientes, desde que não descaracterizem o produto, bem como de vitaminas e minerais. 

A resolução também estabelece que a lista de ingredientes no rótulo do produto deve trazer as quantidades de cafeína, taurina, inositol e glucoronolactona presentes na porção da bebida.

O limite máximo de cafeína estabelecido pela normativa nos energéticos é de 35 mg/100 mL de produto. Quanto à taurina, o máximo são 400 mg/100 mL de produto.

“A taurina é bastante comum nas bebidas energéticas por conta de seu suposto efeito psicoativo, que ainda requer confirmação. Sabe-se pouco a respeito dos efeitos da ingestão da taurina sobre o sistema nervoso central, é tudo muito especulativo. Não sabemos ao certo, por exemplo, o que acontece quando se mistura a taurina com a cafeína.
A cafeína pode melhorar o desempenho de esportistas recreacionais e atletas profissionais, porém não sabemos se a taurina tem o mesmo efeito”, admite Gualano, também pesquisador do NAPAN (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Alimentos e Nutrição).

Ele chama a atenção, ainda, para a mistura de energéticos com álcool, algo que virou febre nas “baladas” há mais de uma década. “Existem pesquisas que mostram que a pessoa que bebe álcool com energético acaba bebendo mais. O energético dá a falsa sensação de que ela está bem, mascara o efeito do álcool, faz com que o indivíduo se sinta apto a fazer coisas perigosas quando se está bêbado, como dirigir, por exemplo.”

Em 2015, o Brasil tentou passar um Projeto de Lei proibindo que energéticos fossem vendidos a menores. Não passou. No ano passado, o Reino Unido também tentou proibir a venda a crianças e adolescentes menores de 16 anos. Não conseguiu.

“Os energéticos são, no geral, bebidas açucaradas, e mesmo as que são diet ou livres de açúcar são ricas em cafeína. O uso habitual em altas quantidades pode ser nocivo, sobretudo a pessoas mais sensíveis e que sofram de grave arritmia ou insônia, por exemplo. Eu recomendo parcimônia no consumo”, resume. 

Adaptado de Alimentos Sem Mitos
Leia Mais

16/04/2019

5 Dicas - Cheiros
16.4.191 Comentários

  1. Você tira facilmente o cheiro de peixe das panelas e das mãos esfregando na primeira lavagem um pouco de pó de café usado. Depois, lave normalmente com detergente e o cheiro desaparecerá.
  2. Para tirar o cheiro de gordura que fica pela casa, esquente numa frigideira, em fogo brando, um pouco de água e canela em pó.
  3. Pedaços de carvão colocados dentro da geladeira eliminam o cheiro desagradável.
  4. Para tirar o cheiro desagradável de alho das mãos, coloque-as sob água corrente e não esfregue por cerca de 1 minuto (apenas deixe a água escorrer entre os dedos). Depois desse tempo, lave normalmente.
  5. Para tirar o cheiro de carne crua que fica nos utensílios ou pia, enxágue tudo com uma mistura de água quente e vinagre (para cada 1 litro de água, 2 colheres de vinagre).
Leia Mais

11/04/2019

Pinhão: Como Fazer, Receitas e Benefícios
11.4.190 Comentários
Com as baixas temperaturas, é normal que o desejo por guloseimas e comidas gordurosas aumente. Felizmente, existem alguns alimentos que podem ser uma alternativa saudável para essa e outras temperaturas. O pinhão é um deles.
Consumido em todo o país, principalmente nas festas juninas, o pinhão é um alimento rico em amido, vitaminas do complexo B, vitamina C, cálcio, fósforo, fibras, proteínas, magnésio e antioxidantes.
Embora seja saudável, por ser muito calórico é indicado que seja consumido com moderação, ou seja, em porções de seis até dez unidades. 
A seguir, confira outros benefícios da semente e veja como prepará-la:

Benefícios do pinhão

Por ser rico em cálcio e fósforo, esse alimento ainda ajuda no fortalecimento dos ossos.
Quando você está se sentindo cansado ou desgastado, o pinhão pode elevar a energia pois contém proteínas e magnésio, substâncias que melhoram os sintomas de fadiga e ainda ajudam a liberar a tensão muscular.

Como fazer pinhão?

Preparar pinhão é mais fácil do que parece. Primeiramente, comece selecionando apenas os pinhões com as cascas brilhantes, retirando os com aparência ruim.
Em seguida, lave as sementes selecionadas e corte as pontas. Depois, descarte os pinhões com a polpa escura.
Coloque numa panela de pressão, cubra com água, tampe e deixe cozinhar até chiar. Depois, deixe cozinhar por mais meia hora. Desligue o fogo e escorra a água.
Depois, é só descascar e se deliciar.

Receitas com pinhão

Salada de Agrião e Pinhão
Ingredientes
4 xícaras de chá de pinhão cozido e descascado
1 xícara de chá de cebolinha verde picada
1 cebola roxa grande cortada em cubinhos
4 xícaras de chá de folhas de agrião

Molho
2 colheres de sopa de suco de limão
1 colher de sopa de mostarda
1 colher de sopa de mel
1/4 de xícara de chá de azeite
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Corte os pinhões em rodelas e misture em uma saladeira com a cebolinha, a cebola e o agrião. Em uma tigela, junte todos os ingredientes e mexa até obter um molho homogêneo. Regue a salada com o molho, misturando delicadamente. Sirva.

Pinhão na manteiga
Ingredientes
1 kg de pinhão cozido, descascado e picado
2 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de salsinha picada
2 colheres de sopa de cebolinha verde picada
Sal e pimenta-do-reino a gosto
1 cebola picada em quadradinhos

Em uma panela, refogue a cebola na manteiga até murchar e, depois, acrescente os demais ingredientes, refogue por cerca de 3 minutos e sirva.

Fonte: Ativo Saúde
Leia Mais

09/04/2019

Alimentos Ricos em Ferro e seus Benefícios
9.4.190 Comentários
O Ferro é um mineral importante para o funcionamento do organismo, já que é um dos principais componentes da hemoglobina, proteína presente nas células vermelhas do sangue, que auxilia o transporte e o armazenamento de oxigênio nas células e está diretamente ligada à produção de energia.
Encontrar pessoas que sofrem com a carência de ferro é muito mais comum do que se imagina, além de perigoso pois a falta deste elemento pode propiciar quadros de anemia.
Felizmente, há diversos alimentos ricos em ferro. Saiba mais:

Benefícios do ferro

Além de ser parte importante da composição sanguínea, o ferro também participa de outros processos no organismo, como a síntese proteica, o sistema respiratório, oxidativo e as defesas do organismo.
Grande quantidade é produzida pelo próprio organismo, nas hemácias, enquanto o restante é proveniente da alimentação. 

Excesso faz mal?

Apesar dos benefícios, não vale exagerar na quantidade de ferro, visto que seu excesso pode comprometer a atividade adequada do sistema imunológico.

Deficiência de ferro: como identificar e tratar?

Exames laboratoriais específicos permitem avaliar a quantidade de ferro presente no organismo. Quando há deficiência, ocorrem manifestações físicas – determinadas pelo estágio de anemia.
Entre os sintomas mais comuns, há apatia, taquicardia, fadiga, irritabilidade, queda de cabelo, quebra das unhas e falta de apetite.
O primeiro passo para tratar é determinar se a anemia está sendo causada por uma dieta pobre em nutrientes ou por um problema de saúde mais sério.
Após o diagnóstico mais preciso, o tratamento é direcionado para ingestão de suplementos e/ou adoção de dieta com alimentos ricos em ferro.

Alimentos Ricos em Ferro

Fígado bovino
Talvez um dos mais conhecidos alimentos ricos em ferro pela cultura popular brasileira é o fígado de boi. Trata-se de um alimento fácil de ser encontrado e que pode ser incluído facilmente da alimentação. É rico ainda em vitamina B, D, A, selênio, cobre, zinco e proteínas.

Beterraba
Este é um dos alimentos ricos em ferro mais versáteis, já que pode ser consumido cru ou refogado, na salada ou como acompanhamento. A beterraba é repleta de nutrientes, tais como vitaminas A, B6 e C, potássio, magnésio, ferro, ácido fólico, proteína, fibras e muitos antioxidantes.

Brócolis
Assim como outros vegetais verde escuros, esse é um dos alimentos ricos em ferro pouco explorados, mas não deveria. O brócolis é repleto desse componente e ainda tem vitaminas como a C, K, A e B, bem como fibras, potássio, manganês e fósforo.

Feijão
O feijão é um velho conhecido do prato dos brasileiros e é excelente para melhorar o aporte de ferro no organismo. Além desse micronutriente, a leguminosa é rica em vitaminas, principalmente do complexo B, proteínas, carboidratos e fibras.

Espinafre
Cru, refogado ou na omelete, esse é um dos alimentos ricos em ferro mais versáteis. Pode fortalecer a imunidade pelo bom aporte de vitaminas A e principalmente C. Também tem boa quantidade de fibras, zinco, ácido fólico, magnésio, fósforo, potássio e cobre.

Peixe
Os mais variados tipos de peixes são boas fontes de proteína magra, isso significa que é uma carne com menos gordura. Esse alimento também se destaca pela boa quantidade de ferro, potássio, fósforo, vitamina D, vitamina B6, vitamina B12 e lipídeos.

Maxixe
O maxixe não é tão comum na mesa do brasileiro, embora seja poderoso. Ele pode ser consumido cru, em saladas ou refogado como acompanhamento. É repleto de ferro, fósforo, magnésio, proteína e carboidratos, além de vitaminas C e do complexo B.

Como aumentar absorção de ferro?

Além de consumir alimentos ricos em ferro, é preciso apostar em estimuladores da absorção deste micronutriente, como a vitamina A.

Fonte: Ativo Saúde
Leia Mais

03/04/2019

5 Dicas - Carnes
3.4.190 Comentários
  1. Para maior garantia ao comprar carne moída, não compre a que já estiver no balcão. Escolha a carne de sua preferência e peça para moer.
  2. Nunca compre carne em açougue que tenha luz vermelha, pois com essa luz você não poderá perceber se a carne é fresca ou não.
  3. Para os bifes não ficarem duros nem formar água ao grelhar, não tempere com vinagre ou limão.
  4. Quando você for fazer bolinhos de carnes e não tiver ovos, substitua por batata cozida amassada. Cada ovo deve ser substituído por uma batata.
  5. Para que um assado fique bem dourado, pincele com shoyu antes de levar ao forno.
Leia Mais

26/03/2019

5 Dicas - Limpeza
26.3.190 Comentários
  1. Para que a panela de alumínio ou inox não escureça ao ferver ovos, coloque dentro um pedacinho de limão ou umas gotinhas de vinagre.
  2. Para facilitar a limpeza do ralador de queijo, passe uma batata crua sobre sua superfície. A batata retirará os resíduos de queijo e os resíduos de batata são fáceis de limpar.
  3. Para tirar as manchas de panelas de alumínio, cozinhe na panela durante alguns minutos água com pedaços de maçã. As manchas sairão facilmente.
  4. Para lavar louça engordurada, faça uma mistura de 1 frasco de detergente e uma colher de sopa de vinagre e lave a louça com essa mistura. O vinagre cortará a gordura e deixará a louça brilhando.
  5. Para limpar o mármore, esfregue-o com um saquinho de sal, molhado. Depois enxague com água e seque bem.
Leia Mais

22/03/2019

Pipoca faz Bem!
22.3.190 Comentários
Um dos alimentos mais populares entre os brasileiros, a pipoca é feita a partir de um milho específico — chamado de milho-pipoca, que estoura quando é aquecido –, e é consumida das mais diversas maneiras. Alguns colocam só sal, outros acrescentam manteiga, mas há também quem misture tudo quanto é tipo de coisa: leite ninho, chocolate, bacon e até temperos prontos. Basta uma rápida consulta ao Google para perceber que a criatividade não tem limites quando o assunto é pipoca.


Mesmo assim, muita gente não conhece os reais efeitos da pipoca em nossa saúde. Muitas pessoas, aliás, acham que pipoca engorda, faz mal e é extremamente calórica.

A questão é que se você colocar leite ninho ou banha de porco, realmente, bem não vai fazer. Mas o problema não está na pipoca, e sim no ingrediente que a acompanha.

Então vamos aos fatos: pipoca em si é saudável e não engorda.
Isso significa que eu posso comer pipoca de cinema a torto e a direito? Então, não. Claro que de vez em quando aquela pipoquinha com manteiga derretida — e que ninguém sabe fazer tão bem quanto o pessoal do cinema — não tem problema, mas você só aproveita os reais benefícios da pipoca quando você a consome de forma saudável.

Por ser muito rica em fibras, em vitaminas do complexo B, magnésio e manganês, a pipoca pode trazer vários benefícios para a saúde:
Evita constipação intestinal, pois o alto teor de fibras ajuda a regularizar a digestão;
Inibe a sensação de fome, provocando saciedade — e de quebra é pouquíssimo calórica (um copo tem 30 calorias, por exemplo)

Então devo comer pipoca sem sal?

Não precisa ser tão radical, mas existem várias receitas saudáveis de pipoca para você extrair dela o melhor de seu valor nutricional sem perder sabor.
Você pode começar , por exemplo, deixando de lado a pipoca de micro-ondas — nem tanto por causa do equipamento, e sim por causa dos componentes que existem dentro do saquinho — e passando a consumir somente a tradicional pipoca de panela.

Depois, pode ir abandonando velhos hábitos que fazem os benefícios da pipoca não valerem o custo-benefício, como salpicar tempero pronto — que é uma verdadeira bomba de sódio. Então, retire a manteiga e vá diminuindo a quantidade de óleo. Uma boa dica para substitui-lo, aliás, é usar azeite de oliva — e fica muito saboroso!
Diminua a quantidade de sal, utilizando somente o necessário para dar aquele gostinho, e pronto!

Para dar uma variada e não comer sempre a mesma pipoca com o mesmo sabor, separamos um exemplo de receita bem diferente de pipoca para você tentar em casa. Veja:

Receita de pipoca ao Pesto de Manjericão

3 xícaras de chá de pipoca (já estourada na panela)
1 xícara de chá de manjericão
1 xícara de chá de parmesão ralado
¼ de xícara de chá de azeite
2 alhos picados
Sal a gosto (em pequenas quantidades, de preferência)

Coloque todos os ingredientes no liquidificador até obter uma pasta homogênea. Em seguida, misture à pipoca e pode servir. Depois não esqueça de nos dizer o que achou!

Fonte: Ativo Saúde
Leia Mais

LinkWithin

Licença Creative Commons
Menu Criativo de Ana Paula Castelli está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

Menu Criativo® é uma marca registrada por Ana Paula Castelli sob nº processo 906768420 no INPI.